sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

As minhas escolhas


As decisões de maior importância sai sempre aquelas que mais me transtornam, dada a dificuldade que tenho em toma-las. Sobretudo na fase da minha vida em que habitam na minha mão todos os sonhos do mundo, por vezes certos, por vezes incertos, ou talvez distorcidos, é certo, mas para os quais conheço o caminho. No entanto, nem sempre o facto de ter noção do trajecto me permite chegar ao destino desejado, porque ainda existem mil e uma opções para o meu percurso. Assim, seria oportuno questionar-me do porquê da existência da dificuldade, se possuo truques, cartas e triunfos, mas no entanto tal se torna inútil quando me apercebo das consequências de cada acto. E é ai que vem o bicho-de-sete-cabeças. Não é trabalho dizer “”sim, vou fazer isto”  ou “ não não vou fazer aquilo”, mas sim perceber os prós e contras daquilo que será feito.

8 comentários:

  1. São muito giros mesmo! Confesso que também não me importava de ter uns iguais :b
    Gostei muito do texto*

    ResponderEliminar
  2. não tens nada que pedir desculpa :o somos duas :)

    ResponderEliminar
  3. já percebi, mas eu queria ir para engenharia química para o porto.

    ResponderEliminar
  4. eu sou mas tento esconder para meu próprio bem |:

    ResponderEliminar
  5. ai tadinhas das calças :c mas se já não gostas ou estao velhas sim faz isso :)

    ResponderEliminar
  6. não tem de pedir desculpa (:
    gostei do texto !

    ResponderEliminar